Poder de Compra na Visão do Trabalhador Assalariado

O título também poderia ser: “Porque o Governo Dilma está caminhando para se tornar o pior da história do país pós plano real, na visão do trabalhador assalariado”.

Isso não faz do Governo do PT, ao longo dos seus 13 anos de poder, o pior. Não se trata de um continuum de 13 anos, mas de dois executivos com características de gestão e eficiência bastante diferentes. Enquanto o Governo Lula se revelou numericamente como o mais próspero para o trabalhador, o Governo Dilma realiza uma desconstrução destas conquistas, em vias de se tornar o pior que tivemos pós Collor.

Há de se atribuir um grande valor ao Plano Real, orquestrado por FHC enquanto ministro da Fazenda no Governo Itamar e herdado pelos próximos Governos. Tratou-se de um plano decisivo para a estabilidade de nossa moeda e controle da inflação. Portanto, bastante positivo para o trabalhador. No entanto, o que observamos no segundo mandato de FHC foi uma derrocada.

Neste artigo mostro alguns gráficos que tornam mais clara a evolução do poder de compra do trabalhador assalariado no Brasil nos últimos 20 anos (1995 – 2015). Não irei comentar muito, apenas colocar alguns dados em gráficos para observarmos alguns padrões. Saliento desde já que esta é uma visão possível dentre algumas.

Dados históricos anuais foram coletados para as seguintes variáveis:

  • Salário mínimo em reais;
  • Valor do dólar (referência no final de Julho de cada ano);
  • Inflação anual acumulada (IPCA);
  • Quantidade de empregos formais (RAIS);
  • PIB.

A partir dessas variáveis, outras séries anuais foram derivadas:

  • Aumento percentual do valor do dólar;
  • Salário mínimo em dólar;
  • Aumento percentual do salário em reais;
  • Aumento percentual do salário em dólar;
  • Ganho real de salário em reais;
  • Ganho real acumulado de salário em reais;
  • Ganho real de salário em dólar;
  • Ganho real acumulado de salário em dólar;

Indexar pelo dólar é uma boa forma de avaliar os ganhos, uma vez que o preço de quase qualquer coisa no país é abalado por flutuações dessa moeda.

Cotação do Dólar

A figura abaixo exibe a série histórica da cotação do dólar, tomando como data de referência o último dia de Julho de cada ano. No Governo FHC o dólar sobe até seu nível mais alto em 2002, alcançando o valor de R$ 3,43. No Governo Lula o real é sistematicamente valorizado a cada ano em relação ao dólar, quando o dólar começa a subir a partir de 2011 (já no Governo Dilma), chegando em Julho de 2015 próximo ao valor registrado no final do segundo mandato do Governo FHC.

Cotação do dólar (final de Julho)
Cotação do dólar (final de Julho)

Inflação

Abaixo é exibido o gráfico de evolução da inflação acumulada por ano. A inflação foi assustadoramente reduzida após o Plano Real, chegando ao seu ponto mais baixo no final do primeiro mandato do Governo FHC, registrando 1,7%. Seu valor começou a subir consideravelmente no segundo mandato de FHC, chegando ao maior valor já registrado de 12,5% em 2002. No primeiro mandato do Governo Lula a inflação cai consideravelmente e é estabilizada entre 5 e 7% no segundo mandato. O padrão se mantém no primeiro mandato do Governo Dilma, com retorno de crescimento em 2015, quando registra o pior valor no Governo PT.

Inflação
Inflação

Salário Mínimo

A figura abaixo exibe a evolução do salário mínimo em reais. Pode-se perceber discretos aumentos anuais em todos os Governos, com uma curva um pouco mais acentuada a partir do Governo Lula.

Salário em reais
Salário mínimo em reais

É possível contudo se chegar a uma interpretação mais verdadeira do aumento de salário mínimo ao convertê-lo em dólar, conforme mostra a figura abaixo. Pode-se perceber que o valor do salário é estável no primeiro mandato do Governo FHC, caindo no segundo mandato. Um crescimento valoroso do salário acontece durante todo o Governo Lula. O salário começa a se desvalorizar no Governo Dilma.

Salário mínimo em dólar
Salário mínimo em dólar

Abaixo é exibido o gráfico da variação percentual do salário em reais. Fora o ano de transição do Plano Real (1995), pode-se observar uma estabilidade na variação ao longo de todos os Governos, com altas no final do Governo FHC e início do Governo Lula e baixas em meados dos Governos FHC e Dilma.

Variação do salário mínimo em reais
Variação percentual do salário mínimo em reais

Mas se convertemos o salário em dólar, podemos perceber que o período do Governo Lula foi o mais próspero, com a variação mantendo-se quase todo o tempo positiva. Já os Governos FHC e Dilma mantiveram a variação do salário mínimo em dólar quase todo o tempo negativo. O maior valor aconteceu no final do primeiro mandato de Lula (2005) e o menor no início do segundo mandato de FHC (1999). Observando 2015, o Governo Dilma promete chegar perto, quem sabe ultrapassar, este recorde negativo de FHC.

Variação percentual do salário mínimo em dólar
Variação percentual do salário mínimo em dólar

Contudo, o ganho real de salário só acontece quando a variação do salário é superior à inflação. A figura abaixo mostra o ganho real de salário mínimo em reais. O Governo Lula foi o único que manteve-se acima dos 0% durante todo o período, ou seja, o único com ganhos reais todos os anos.

Variação do ganho real de salário mínimo em reais
Variação do ganho real de salário mínimo em reais

Em dólar fica ainda mais evidente o maior desempenho do Governo Lula, conforme a figura abaixo. O ano mais próspero foi 2005, e o menos próspero foi 1999.

Variação do ganho real do salário mínimo em dólar
Variação do ganho real do salário mínimo em dólar

Para se ter uma ideia do ganho real de salário acumulado ao longo dos últimos 20 anos, dê uma olhada no gráfico abaixo. Há um aumento de volume especialmente a partir de 2004, com pouco crescimento a partir de 2012.

Ganho real acumulado de salário mínimo em reais
Ganho real acumulado de salário mínimo em reais

Mas a dura verdade do “ganho” real acumulado de salário é observado quando o convertemos para dólar. Observe na figura abaixo. O Governo FHC foi do começo ao fim uma história de perda real de salário mínimo, chegando a -112,47%. Houve uma recuperação essencial durante todo o Governo Lula, reduzindo substancialmente a perda até -9,01%. Era esperado que o Governo Dilma desse continuidade a esse crescimento, mas não foi isso o que aconteceu. As conquistas do Governo Lula começaram a ser minadas, acumulando-se até agora uma perda de -86,01%, já próximo ao pior momento, registrado durante o Governo FHC.

Ganho real acumulado de salário mínimo em dólar
Ganho real acumulado de salário mínimo em dólar

Alguns Fatores de Sustentabilidade

As perdas e ganhos reais não valeriam muito se não pudéssemos avaliar a quantidade de vínculos empregatícios formais a cada ano. Isto porque a quantidade de empregos de carteira assinada nos dá um indicativo direto da empregabilidade nos setores produtivos no país, além de falar um pouco sobre a saúde desses setores. Uma quantidade crescente de empregos formais dá mais segurança no que diz respeito à manutenção do poder de compra do trabalhador.

Abaixo é exibido o gráfico da quantidade de empregos formais gerados a cada ano. O crescimento foi lento durante o Governo FHC, se comparado com o crescimento no Governo Lula. No Governo Dilma, apesar da quantidade de empregos ainda crescer, a velocidade do crescimento diminui. Ainda não há dados disponíveis para 2015, mas neste ano a perspectiva é a de diminuição ainda maior da velocidade, o que evidencia uma desconstrução dos incentivos à indústria alcançados no Governo Lula.

Quantidade de empregos formais
Quantidade de empregos formais

Se você ficou curioso sobre o crescimento econômico do país ao longo desses 20 anos, veja abaixo a curva do nosso PIB. É fácil ver uma retração da economia ao longo do Governo FHC, uma expansão significativa no Governo Lula e uma nova retração no Governo Dilma. Tanto no Governo FHC quanto Dilma o cenário internacional de uma maneira geral é de expansão econômica, mas nesses períodos o Brasil se contraiu. O Governo Lula acompanhou a forte expansão da economia mundial entre 2003 e 2007, mas se manteve firme (pouca retração) enquanto o mundo experimentava uma forte crise em 2008. Mas, realmente, a partir de 2011 foi uma grande decepção.

PIB
PIB

Conclusão

 

Certamente não é a de que devemos destituir a presidente Dilma através de impeachment. Como se diz por aí, impeachment não é remédio para Governo ruim, mas para presidente criminoso. E todo mundo tá sabendo que ela não é uma.

Podemos dizer que, de acordo com as métricas que observamos, que são enviesadas em favor do trabalhador assalariado, o Governo mais eficiente foi o de Lula. Ainda nesta visão, podemos afirmar que o pior Governo até agora foi o de FHC (sem demérito da consolidação do Plano Real), mas com promessas de ser desbancado pelo Governo Dilma, visto que ela ainda tem mais 3 anos pela frente (espero que sim) para piorar (espero que não).

Feliz ano novo!

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s